Tempo emprestado.

20 02 2010

“Cada vez que respiramos, afastamos a morte que nos ameaça. (…) No final, ela vence, pois desde o nascimento esse é o nosso destino e ela brinca um pouco com sua presa antes de comê-la. Mas continuamos vivendo com grande interesse e inquietação pelo maior tempo possível, da mesma forma que sopramos uma bolha de sabão até ficar bem grande, embora tenhamos absoluta certeza de que vai estourar.”

Schopenhauer. Livro  “O mundo como vontade e representação”.

Anúncios




O privilégio da religião

9 02 2010

“A religião tem todas as coisas a seu favor: a revelação feita por Deus aos homens, as profecias, a proteção do governo, das figuras mais respeitáveis e importantes. Mais que isso, o enorme privilégio de poder gravar sua doutrina na mente das pessoas quando elas são crianças e, com isso, as idéias se tornam quase congênitas.”

Arthur Schopenhauer. “O mundo como vontade e representação”.





8 ou 80

9 02 2010

“Numa certa fase da vida, os homens têm demais, e no fim, muito pouco.(…) passam a metade da vida lidando com putas e a outra metade sendo cornos.”

Irvin D. Yalom. Livro”A cura de Schopenhauer”.





O que ele não pode usar…

9 02 2010

“É contra a natureza da mulher limitar-se a um só homem no curto período de seu florescer. Esperam que ela guarde para um homem o que ele não pode usar e que vários outros desejam.”

Irvin D. Yalom. Livro “A cura de Schopenhauer”.





Sociedade de porcos-espinhos

9 02 2010

“Num dia frio de inverno, alguns porco-espinhos se juntaram parase aquecerem com o calor de seus corpos. Mas logo viram que estavam se espetando e se afastaram. Ficaram com frio de novo e se juntaram, ficando entre dois males até descobrirem a distância adequada. Assim é na sociedade, onde o vazio e a monotonia fazem com que os homens se aproximem, mas seus muitos defeitos, desagradáveis e repelentes, fazem com que se afastem.”

Arthur Schopenhauer. Livro “Parerga e Paralipomena”.





Bípedes…

9 02 2010

“Quando eu tinha trinta anos, estava cansado e aborrecido por ter de considerar iguais a mim pessoas que nada tinham a ver comigo. Como um gato que, quando pequeno, brinca com bolinhas porque  acha que são vivas e parecem com ele, assim me sinto em relação aos bípedes.”

Arthur Schopenhauer. Livro “Manuscript remains”.





O verdadeiro gênio.

9 02 2010

“Talento é quando um atirador atinge um alvo que os outros não conseguem. Gênio é quando um atirador atinge um alvo que os outros não vêem.”

Arthur Schopenhauer. “O mundo como vontade e representação”.