Parte do universo

24 11 2009

“Qual seria o sentido de eu ter sido criada, se estivesse contida apenas em mim mesma? Os grandes desgostos que tive foram os desgostos de Heathcliff, e eu senti cada um deles desde o início:o que me faz viver é ele. Se tudo o mais acabasse e ele permanecesse, eu continuaria a existir; e se tudo o mais permanecesse e ele fosse aniquilado, eu não me sentiria mais parte do universo.”

Emily Bronte.”Morro dos ventos uivantes”.





Para Heathcliff, vingança não é um prato que se come cru.definitivamente.

23 11 2009

“(…)tenho de me lembrar de respirar…quase de lembrar meu coração de bater! E é como dobrar uma mola dura: é por compulsão que executo o mais simples ato, não impelido por um único pensamento; e é por compulsão que reparo em qualquer coisa, viva ou morta, que não esteja ligada à minha única idéia. Só tenho um desejo e todo o meu ser e as minhas faculdades estão ansiosas por alcançá-lo. Há tanto tempo anseiam isso, e tão firmemente, que estou convencido de que ele será alcançado pois já devorou toda a minha existência: sinto-me tragado pela expectativa da realização.”

Emily Bronte.”O morro dos ventos uivantes”.





Cão ou cavalo

23 11 2009

“(…)você sabe muito bem que ela não me esqueceu! Sabe tão bem quanto eu que, para cada vez que ela pensa em Linton, pensa mil vezes em mim.(…)Mesmo que ele a amasse com todas as forças do seu insignificante ser, não poderia amá-la, em oitenta anos, tanto quanto eu num só dia. E Catherine tem um coração tão profundo quanto o meu: era mais fácil o mar caber todo naquela manjedoura do que o coração dela ser monopolizado por ele! Ora, ele é pouco para ela, do que seu cão ou seu cavalo. Não pode ser amado como eu sou. Como é que ela poderia amar nele o que ele não tem?”

Emily Bronte.”O morro dos ventos uivantes”.