É porque elas perdoam…

25 02 2010

“I thought we were invincible. But now I know that the things that people in love do to each other, they remember. And if they stay together, it’s not because they forget. It’s because they forgive.”

Filme “Proposta indecente”.





Metamorfose ambulante

20 02 2010

“Pelo fato de ter sempre o mesmo nome, os mesmos olhos e o mesmo nariz, não quer dizer que eu seja sempre a mesma mulher.”

Aldous Huxley. Livro “A Ilha”.





Melhor definição de vaidade e orgulho.

20 02 2010

“A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinônimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho se relaciona mais com a opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, com o que desejaríamos que os outros pensassem de nós”.

Jane Austen. Livro “Orgulho e Preconceito”.

Falando em “Orgulho e  preconceito”, apesar de amar o livro, amo o filme e, graças ao Youtube, posso sempre dar uma olhada em uma das cenas que eu mais gosto:

adoro!

 





Efeito Cômico

20 02 2010

“Se olharmos a vida em seus pequenos detalhes, tudo parece bem ridículo. É como uma gota d’água vista num microscópio, uma só gota cheia de protozoários. Achamos muita graça como eles se agitam e lutam tanto entre si. Aqui, no curto período da vida humana, essa atividade febril produz um efeito cômico.”

Livro “Complete Essays of Schopenhauer: Seven Books in One Volume”.





Gênio e talento.

20 02 2010

 “O filósofo tinha muito a dizer da diferença entre o homem de gênio e o de talento. Além de comentar que o homem de talento atinge um alvo que os outros não conseguem, enquanto o gênio atinge um alvo que os outros não conseguem ver, disse que o homem de talento é moldado conforme as necessidades da época e capaz de atender tais necessidades, mas a geração seguinte de leitores já não conhece a sua obra. (…)’O homem de gênio brilha no tempo como um cometa entre os planetas. (…)Não pode seguir lado a lado da cultura, mas bem à frente dela.”

Irvin D. Yalom. Livro “A cura de Schopenhauer”.





A estupidez

20 02 2010

 “Num jantar, um jovem perguntou algo ao filósofo e teve como reposta apenas ‘Não sei’. O jovem então comentou:_Ora, pensei que o senhor, um grande sábio, soubesse tudo._Schopenhauer disse então:_Não, o conhecimento é limitado. Só a estupidez é ilimitada.”

Irvin D. Yalom. Livro “A cura de Schopenhauer”.





Simples fato de existir.

20 02 2010

“Não devemos nos preocupar em como as coisas são, mas nos maravilharmos por elas serem, por exitirem.”

Irvin D. Yalom. Livro “A cura de Schopenhauer”.