Corações dilacerados.

2 01 2010

“_Porque sem o perceber, pus nele a expressão de toda essa estranha idolatria artística, da qual, naturalmente, nunca cuidei de falar a ele. Dorian de nada sabe. E jamais o saberá. Mas o mundo poderia adivinhá-la; e não quero abrir minha alma diante dos frívolos olhares curiosos. Jamais porei o meu coração sob esse microscópio. Há demasiado de mim mesmo nele, Harry…demasiado de mim mesmo.
_Os poetas não são tão escrupulosos como vocês. Sabem quanto ajuda a paixão utilmente divulgada. Hoje em dia, de um coração dilacerado tiram-se numerosas edições.
_Por isso os odeio_exclamou Hallward._Um artista deve criar coisas belas, mas não deve botar nelas nada da sua vida. Vivemos numa época em que as pessoas não veem na arte senão uma forma de autobiografia. Perdemos o sentido abstrato da beleza. Algum dia, ensinarei ao mundo o que seja; e, por esta razão, o mundo nunca verá o meu retrato de Dorian Gray.”

Oscar Wilde. Livro “O retrato de Dorian Gray”.

 


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: