Apostando beijos

2 01 2010

“— Cem metros — incitou-a. — Aposto que você não consegue me ganhar.
Liesel não estava disposta a engolir nada daquilo.
— Aposto que eu consigo.
— Você aposta o quê, Saumenschzinha? Tem algum dinheiro?
— É claro que não. Você tem?
— Não.
Mas Rudy teve uma idéia. Era o menino apaixonado vindo à tona.
— Se eu ganhar, eu beijo você.
Abaixou-se e começou a dobrar a bainha das calças. Liesel ficou assustada, para dizer o mínimo.
— Para que você quer me beijar? Eu estou imunda.
— Eu também.
Era claro que Rudy não via razão para um pouquinho de sujeira atrapalhar as coisas. Já fazia algum tempo desde o último banho dos dois.
Ela pensou no assunto, enquanto examinava as pernas magricelas da oposição. Eram mais ou menos iguais às suas. Não tem jeito de ele me vencer, pensou com seus botões. Balançou afirmativamente a cabeça, com ar grave. Aquilo era para valer.
— Você pode me dar um beijo, se ganhar. Mas, se eu ganhar, deixo de ser goleira no futebol.
(…)
— Se der empate, ainda ganho meu beijo?
— Nem num milhão de anos — disse Liesel, que se levantou e sacudiu um pouco de lama do capote.
— Você deixa de ser goleira.
— Dane-se a sua goleira.
Enquanto voltavam para a Rua Himmel, Rudy a advertiu:
— Um dia, Liesel, você vai morrer de vontade de me beijar.
Mas Liesel sabia.
Jurou.”

Markus Zusak. Livro “A menina que roubava livros”.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: