Numa única palavra.

30 11 2009

“_Porque eu a amei muito!
E, felicitando-se por ter transposto a dificuldade, León, com o canto dos olhos, espiou sua fisionomia.
Foi como o céu quando uma ventania afasta as nuvens. A carga de pensamentos sombrios que os entristecia preceu retirar-se de seus olhos azuis; todo o seu rosto resplandeceu.
Ele esperava. Enfim, ela respondeu:
_Eu sempre desconfiei…
Então, contaram-se mutuamente os pequenos acontecimentos daquela existência longínqua cujos prazeres e melancolias acabavam de resumir numa única palavra.”

Gustave Flaubert. Livro “Madame Bovary”.

Anúncios

Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: